Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Qui | 25.09.14

Salário Mínimo

narrativadiaria
 Depois de um ‘parto’ difícil chegou-se finalmente a acordo com os parceiros sociais (exceto a CGTP),  sobre o aumento do salário mínimo, que passará de 485 euros para 505 euros brutos mensais.

De acordo com o Jornal de Negócios, as empresas suportarão 85% deste aumento e o Estado garantirá uma parte através da redução da Taxa Social Única (TSU).

Este aumento de 20 euros mensais no salário dos trabalhadores significa um aumento de 24,77 euros de aumento na despesa das empresas, mas o Estado comprometeu-se a  reduzir 0,75 pontos na TSU. Desta forma, a Segurança Social devolverá 3,79 euros por trabalhador, que corresponde a cerca de 15% de acréscimo na despesa.

No entanto, e de acordo com esta publicação, mesmo tendo em conta a redução da TSU, é a Segurança Social que sai a ganhar no cômputo geral, dado que o aumento do salário significa um alargamento da base sobre a qual incidem tanto os descontos do trabalhador (11%) como os da empresa (de 23% ou de 23,75%).

Com o aproximar das eleições de 2015 começa a ser altura do governo dar uns «rebuçados eleitorais» para adoçar a boca dos portugueses.

Muito embora ainda não saibamos qual irá ser o próximo candidato do PSD às próximas eleições, devido às recentes notícias vindas a público sobre o passado do primeiro-ministro na Tecnoforma, Passos Coelho e o seu parceiro de coligação estão decididos a jogar todos os trunfos.

Torna-se, por isso,  real  aquilo que António Costa afirmou no debate das Primárias: o ano mais difícil para a oposição é este que falta até às próximas eleições.