Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 02.08.15

Sobre a participação de Paulo Portas nos debates televisivos

narrativadiaria

cropped-13109441.jpg

PSD e CDS concorrem às próximas eleições legislativas em coligação. Passos Coelho, dirigente do PSD e do maior partido, é o líder da coligação. O que quer dizer que Portas não está obrigado a ir a debate. Mas Portas quer participar nos debates. Por outro lado, o CDS não abdica de ter Paulo Portas nos debates televisivos. A posição dos centristas está a dificultar um acordo entre os partidos, já que os socialistas não aceitarão um modelo em que a coligação seja representada por Passos e Portas. O PS contestou abertamente um debate a seis, já que assim sendo o PCP também exigiria a participação de Heloísa Apolónia.Na prática, alega ainda o PS, um debate com Portas e Heloísa prejudicaria António Costa, que ficaria com menos tempo e teria de se confrontar com dois candidatos em vez de um.

O principal argumento dos socialistas é que a nova lei é clara e fala em «candidaturas concorrentes» e não em partidos. O que significa que, de acordo com a lei, as televisões têm de incluir nos debates obrigatoriamente apenas um representante de cada candidatura, não sendo de todo obrigadas a convidar nem Heloísa Apolónia do PEV que concorre com a CDU nem Paulo Portas do CDS-PP que concorre pela coligação Portugal à Frente

Eu entendo que deve ser respeitado o espírito da lei. Aliás, se atentarmos nas listas de deputados à Assembleia da República, verificaremos que o CDS-PP não aparece em nenhum distrito como cabeça de lista. Os lugares cimeiros são todos ocupados pelos sociais-democratas ou independentes. O CDS decidiu concorrer em coligação com medo de sofrer uma derrota pesada caso concorresse sozinho, já que isso significaria um novo ciclo político no partido.   Foi uma opção deixar subalternizar-se pelo PSD, agora não se pode queixar.

Como diz o Daniel Oliveira, o PSD e o CDS «decidiram concorrer juntos. Mas nos debates querem as vantagens de quem concorre separado. Querem que as regras que sempre vigoraram sejam alteradas para terem as vantagens de ir sozinho e as vantagens de ir em separado. Querem sol na eira e chuva no nabal».

1 comentário

Comentar post