Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Seg | 10.11.14

Sobre o surto de legionella

ng3689195.jpg

A legionella é uma bactéria responsável pela Doença dos Legionários que já causou cerca de 160 infeções, quatro mortes confirmadas entre 180 casos suspeitos, com incidência na zona de Vila Franca de Xira.

As vítimas mortais tinham um historial de vulnerabilidades (doenças respiratórias, cardiopatias ou fumadoras) o que terá levado ao desfecho fatal. Assim e segundo o diretor-geral da Saúde, Francisco George, centenas de pessoas poderão estar expostas a esta bactéria, mas apenas um número restrito ficará contaminado.

A legionella necessita de meio aquático quente para se multiplicar, tolera temperaturas até 63º e alguns desinfetantes como a lixívia ou o cloro das piscinas. Geralmente é encontrada em piscinas de água quente, spas, sistemas de ar condicionado, jacuzzis, duches, águas quentes sanitárias, balneários, humidificadores e condensadores de evaporação. A incubação da legionella no corpo humano dura entre dois a dez dias. Surge como pneumonia atípica e é detetada através da história clínica e RX, confirmada por exames à urina e à  expetoração.

A transmissão dá-se por via área (respiratória), através da aspiração gotículas de água contaminada ou poeiras contendo a bactéria. Não é transmissível de pessoa a pessoa. Por esta razão as infeções são localizadas a uma área geográfica, visto geralmente darem-se através de uma fonte de água comunitária. Neste contexto, a Direção- Geral de Saúde recomenda a não utilização de duches ou torneiras com grande pressão e os termoacumuladores deverão ser colocados a temperaturas acima dos 75 graus. Dever-se-á igualmente evitar até a deteção da fonte da bactéria, instalações balneárias ou piscinas públicas.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, confirmou ontem que a atuação sobre este caso está a ser feita em três frentes: a primeira frente prende-se com no tratamento de doentes infetados. Estão a ser desviados doentes para outros hospitais para além de Vila Franca de Xira – concelho ligado a todos os doentes – para manter a capacidade de resposta, até porque são esperados mais casos; a segunda frente diz respeito à procura da fonte de contaminação com quatro equipas no terreno em permanência e finalmente em terceiro lugar são as medidas preventivas que estão a ser tomadas, designadamente: informação à população, reforço dos níveis de cloro na rede pública de água, vistoria de hotéis e superfícies comerciais e a suspensão das torres de refrigeração.

1 comentário

Comentar post