Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

16.03.17

O PSD já tem candidato a Lisboa

A poucos dias de se conhecer a opção de Pedro Passos Coelho para o Município de Lisboa, há um nome que agrada aos sociais-democratas: Teresa Leal Coelho, vice-presidente do PSD e vereadora da Câmara Municipal de Lisboa, escolha que deverá ser validada na Comissão Política Nacional da próxima terça-feira, 21 de março, mas antes disso a candidata ainda tem de passar pelo crivo dos plenários das estruturas concelhia e da distrital do partido. Contudo, estas estruturas veem com (...)
11.03.17

Núncio foi advogado da principal empresa responsável pelas transferências para offshores

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, quando fez parte da equipa da Sociedade Garrigues, foi advogado durante três anos da petrolífera venezuelana PDVSA, justamente uma das principais empresas envolvidas na saída de dez mil milhões de euros para o Panamá, que está na base da polémica dos offshores. As receitas da petrolífera terão sido uma parte substancial dos 7,8 mil milhões de euros de transferências que saíram do BES e tiveram como destino (...)
26.02.17

Paulo Núncio assume responsabilidade política no caso das offshores

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Paulo Núncio assumiu ontem a sua «responsabilidade política» pela não publicação de dados relativos às transferências de dinheiro para offshores, pedindo o abandono das suas funções atuais no CDS-PP, depois de José Azevedo Pereira, responsável pela Autoridade Tributária à época, vir desmentir o Paulo Núncio, atribuindo-lhe a responsabilidade pela não publicação das estatísticas sobre transferências no valor de dez (...)
22.02.17

«Lisbon Papers»

 Segundo notícia avançada pelo Jornal Público, o Fisco deixou sair do país dez mil milhões de euros para paraísos fiscais, entre 2011 e 2014, sem qualquer tipo de controlo, durante os anos em que Paulo Núncio foi secretário de Estado e Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque responsáveis pela pasta das Finanças. O dinheiro terá sido comunicado (...)
16.02.17

Ainda o folhetim da Caixa Geral de Depósitos

Já ninguém aguenta toda esta polémica em torno da CGD. Este folhetim da CGD que envolve Mário Centeno, Governo, Marcelo, António Domingues, Lobo Xavier e todos os partidos já cheira demasiado a chicana política. É óbvio que o Governo geriu mal todo o processo de nomeação da antiga administração da CGD, assente no pressuposto de que um banco público pode ser gerido como um banco privado. Mas, em contrapartida, António Domingues, ao não perceber o que lhe era exigido (...)
18.01.17

Um clássico!

   Assunção Cristas, líder do CDS-PP, ontem, no debate quinzenal no parlamento, esqueceu por momentos o radicalismo amoroso e os valores cristãos, e num estilo trauliteiro e grosseiro acusou o primeiro-ministro de mentir sobre a assinatura do acordo de concertação social.   António Costa disse-lhe, e bem, que o acordo de concertação social estava assinado, porque o governo já o tinha feito e o documento estava a circular para recolha das restantes assinaturas. Provavelmente, (...)
13.12.15

Passos e Portas apoiam Marcelo

O PSD e o CDS-PP recomendaram aos seus eleitores o voto na candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa nas eleições presidenciais.No Conselho Nacional do PSD, Passos Coelho apelou a que os eleitores e militantes votem em Marcelo Rebelo de Sousa, que deve ser, segundo o líder do PSD, «mais árbitro do que jogador» em Belém, dando como exemplo o mandato «apartidário» (...)
21.10.15

Haverá condições para um governo com suporte maioritário à esquerda?

Após ouvir todos os partidos com representação parlamentar, Cavaco Silva já terá sido devidamente elucidado que PS, PCP, BE e PEV inviabilizarão no parlamento uma solução que passe por indigitar Passos Coelho e a coligação de direita.Ainda assim, o Presidente da República deve indigitar Passos Coelho, convidando-o a formar governo.Caso António Costa (...)
20.10.15

Género Epistolar

 Parece estar institucionalizada em Portugal uma nova forma de fazer política, refiro-me à forma de comunicação adotada pela Coligação PSD/CDS e o PS.Em vez de os líderes dos partidos se reunirem com vista a um entendimento para a formação de um novo governo, adotaram o género epistolar dando trabalho aos correios.Lamentável!