Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

23.10.19

A deputada do Livre

narrativadiaria
Fiquei contente por o Livre ter elegido um deputado. Admiro o Rui Tavares, a sua inteligência, honestidade intelectual, as suas ideias sobre a União Europeia, julgo, porém, que o Livre já não tem nada a ver com ele. Lamento que não se tenha juntado ao partido socialista com o qual penso que tenha mais pontos convergentes do que divergentes.   Depois, parece-me que a escolha da deputada para representar o Livre no Parlamento foi um erro de casting. Joacine tem vindo a afastar-se (...)
15.07.14

Esquerda partidária portuguesa

narrativadiaria
«No fundo, o drama da esquerda partidária portuguesa é este: há uma metade que só pensa em governar; a outra metade só pensa em não governar. A esquerda partidária que só pensa em governar acha que, para isso, tem de ser centrista. A esquerda que só pensa em não governar acha que, para isso, tem de ser extremista. A esquerda partidária portuguesa anda há décadas a fazer a (...)
23.05.14

Ainda as Eleições Europeias

narrativadiaria
   A dois dias das eleições europeias tudo parece decidido, a avaliar pelas sondagens, que naturalmente valem o que valem, e que tem sido desvalorizadas pelos candidatos. O PS vence as eleições europeias, sem esmagar. Uma sondagem da Universidade Católica para a (...)
17.11.13

Novo partido à esquerda

narrativadiaria
  O eurodeputado independente, Rui Tavares apresentou o novo partido «LIVRE» no teatro São Luiz. O partido que tem como princípios: a liberdade, esquerda, ecologia e Europa pretende reunir pessoas da área de esquerda (PS, PCP e BE), desiludidas com os partidos situados nesse espaço político. Tem como símbolo uma papoila, já conta com um website e está agora a recolher 7500 (...)
27.03.13

TEMOS FILÓSOFO!

narrativadiaria
Reparem nesta pérola: “Eu quis aqui estar hoje porque, num tempo em que somos confrontados diariamente com a gestão da incerteza e a gestão das incógnitas, é importante que aqueles que têm responsabilidades públicas sejam capazes em cada uma das áreas de ter respostas concretas para o que é concreto e respostas objetivas para o que é específico”. “Isto foi o que disse Miguel Relvas, ontem. Respostas concretas para o que é concreto! Respostas objetivas para o que é (...)