Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Seg | 28.07.14

Take Another Plane

 (imagem do google)

 «Take another plane» parece assentar que nem uma luva quando se fala dos serviços prestados pela TAP. De facto, apanhar outro voo, é atualmente o mais indicado, porque na TAP há clientes que saem permanentemente insatisfeitos, fruto dos sucessivos atrasos e cancelamentos verificados nos últimos tempos.

No início do ano a TAP cresceu exponencialmente abriu onze novas rotas, abriu concursos para recrutamento de novos funcionários, adquiriu mais aviões, porém a operacionalidade da companhia tem sofrido perturbações, o que tem vindo a ser justificado com a demora na entrega de seis novos aviões, que deveriam ter chegado em Julho.

Os constrangimentos na operação da TAP não são novos. Pelo menos de há três anos a esta parte, assim que entra no pico de procura (nos meses de Verão), há atrasos, cancelamentos, incidentes técnicos e, claro, passageiros indignados. Este ano foi pior, como a própria companhia admitiu, embora argumentando sempre que planeou a operação com o «devido tempo».

No meio da perturbação que a TAP vive, surgiu na sexta-feira, a convocação de uma greve de 24 horas prevista para 9 de Agosto, numa altura em que a companhia já esperava ter a operação quase normalizada.

O anúncio de uma paralisação deste tipo é arrasador. As transportadoras aéreas começam logo a sentir os seus efeitos. Os passageiros tendem a cancelar os voos e recorrer a empresas concorrentes e a reprogramação da operação paga-se muito caro.

A concretizar-se, esta greve vai penalizar ainda mais as contas da empresa, estimando-se uma perda de cinco milhões de euros de receitas por cada dia que os aviões não descolem. Isto sem contar com os custos de alojamento e alimentação dos passageiros lesados. Tendo em conta o tráfego médio de um sábado, em pleno Agosto, estima-se que a greve possa afetar quase 40 mil passageiros, de acordo com dados cedidos pela transportadora. 

Entretanto surgiu na imprensa o interesse de Miguel Pais s do Amaral na transportadora aérea, em consórcio com o milionário norte-americano Frank Lorenzo, antigo acionista e presidente da Continental Airlines. O empresário garante que muito em breve estará em condições para apresentar uma proposta para comprar 100% da TAP. A ver vamos!